domingo, março 25, 2007

Canto do Olho

Olhou-me no fundo dos olhos. Castanhos. Remelas no canto. Cama graaande, preguiça maior. Na vitrola, Água de Beber. Olhou-me com esquiva devoção. Um olhar acastanhado de medo. Também tenho medo, eu disse. Companheiros, mãos atadas contra o futuro. Ou a favor deste que agora nos preocupa. Tudo é dúvida, espera.
O futuro a mim pertence. Olhou-me continuamente, esperando resposta. Uma resposta castanha que dou todos os dias é o que eu queria tornar garantia. Meu olhar é garantia. No fundo dos olhos, que seja eterno enquanto dure. "Vinícius é que sabia"!

Naquela cama graaande, preguiça maior, hei de passar meus dias. Até que o brilho do olhar vire estrela, que brilhe como o castanho da vista .


3 comentários:

Tane disse...

hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm
^^

Rayanne disse...

A resposta ao anônimo foi uó viu... Hehehe...

Não dá pra sacar essas suas internas interníssimas, mas eu até que me entretenho lendo suas viagens.

Olhos castanhos virtuosos, esses.

:)

Tane disse...

Omi, atualize isso aqui oO'
:*