segunda-feira, julho 09, 2007

Razões

Era dura a noite
Um ardor, uma dor, um prazer
Um ócio de criações vagas
E a lua bocejava no alto

Umas, palavras, outras, calavas
Idéias, escuras lembranças e o sono
Era o meio da noite dura
Clara, em que tudo aconteceu

E nada do que aconteceu
Agora vara este dia que nasce
Minha vista ficando alva
E, de ti, a alma se curva, turva.



*Descobri no olho do moço que o verde de antigamente é ardósia.

Nenhum comentário: