terça-feira, outubro 16, 2007

Ando parado naquela música que me fez lembrar você, vidrado na frente da tevê. Esperando ligações, cartões postais, um e-mail que seja, seu coração no pombo-correio. Pra mim, só. Ando dormindo à luz dos nossos momentos, sua roupa no sofá, ensaboar seu corpo, sua alma, massagear seu ego com mãos fortes de amante, seu sorriso. O tempo não é mais meu amigo. A novela perdeu o sentido. A cama fica dura, a casa, vazia. O dia fica sem graça. Até a cachaça perde o efeito. 3 margueritas? Nenhuma. Ando calado por não ter muito o que falar, esses dias. Ando meio desligado, mas por outro lado. Eu ando pensando em mil e uma coisas pra te dizer no ouvido. Beijar seu rosto, sentir cheiros. Brincar nos seus cabelos enquanto você sonha. Ando um pouco dolorido, pois é, dessa saudade que não me deixa. Mas ando sempre com aquela música que me faz lembrar você. Aquela mesma de quando tivermos 64 anos. Paul é que sabia.

Volte um dia.


Um comentário:

LC disse...

O meu celular agora toca "When I'm sixty-four".
Quero uma Marguerita quando chegar.